Latest News

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O silêncio não é a voz da solidão.


O silêncio não é a voz da solidão.

A solidão é ruidosa, informe, e impõe-se como não-criação. 
A solidão aniquila a interrogação.
É a sua informidade, o seu caos sonoro que afoga a voz singular, mas que permite, depois, o nascimento do silêncio necessário à génese da individualidade.
O silêncio, o húmus, alimenta a criação

silêncio:interrogação:criação?

Mário Rufino
mariorufino.textos@gmail.com

Sem comentários:

Recent

Random